Início » Revista do Ibirapuera » Governança » Concessão bem ou mal feita – entenda a diferença