Início » Revista do Ibirapuera » O sol brilhante queimava. Banco na sombra? Mas não tinha…