Início » Revista do Ibirapuera » História e Cultura » Cemitério ou parque? Os dois!